SILAGEM- Como ela aumenta a produção de leite na fazenda?

Zeit > Blog > Cows > SILAGEM- Como ela aumenta a produção de leite na fazenda?

Como uma boa silagem aumenta a produção de leite?

Sempre que falamos em produtividade na fazenda, podemos reunir vários fatores que são responsáveis pelo crescimento ou queda da quantidade de leite produzido por animal. O bem-estar da vaca é um dos fatores fundamentais para uma boa produtividade, e deixar elas bem alimentadas é o caminho certo para isso. Mas, a qualidade do alimento que fornecemos vai ter grande impacto nesse resultado. Mais que isso, alimentar bem e de forma regular durante o ano inteiro é o verdadeiro desafio.

O problema começa quando lembramos que as gramíneas, muito utilizadas no manejo, sofrem com as mudanças climáticas e variações sazonais. Ou seja, não temos uma boa regularidade durante o ano todo. A grande solução está em realizar o processo de conservação desse material para uso posterior. Quando realizamos esse procedimento, temos o que chamamos de silagem. 

O que é a silagem?

A silagem é definida como um alimento úmido, fibroso. Além disso, se origina de um processo mediado pela ausência de oxigênio, também chamado de condições anaeróbicas. Nesse processo, os carboidratos solúveis das plantas são fermentados, formando ácidos orgânicos, reduzindo o pH da silagem. É esse processo que impede o crescimento de bactérias e fungos que degradariam o alimento. Todo esse processo acontece para reduzir o pH, que é o principal fator de conservação da silagem.

Com esse método, já solucionamos o problema de termos alimento de qualidade para o ano todo. Mesmo nas mudanças de estação ou até acontecimentos meteorológicos, podemos conservar esse alimento através da silagem para garantir bons índices zootécnicos dos rebanhos. Mas quando acontece o impacto na produtividade?

Agora que entendemos o problema sobre a nutrição e bem-estar animal, podemos concluir qual o principal fator na qualidade da nutrição que beneficia a produtividade do rebanho. Continue lendo este artigo para tirar suas dúvidas, e se quiser conversar mais sobre o assunto, pode deixar seu comentário no final da página, ou mesmo entrar em contato através de nosso e-mail contato@zeitbr.com.br.

Como ocorre o processo de ensilagem?

Todo o processo de silagem acontece para evitar que o alimento perca o valor nutricional e a sua qualidade. Para entender como isso acontece, podemos separar os processos que acontecem na fermentação durante a ensilagem. São quatro fases:

  • Fase 1: aeróbica que se inicia no momento do corte do volumoso, indo até anaerobiose do silo (esgotamento do oxigênio);
  • Fase 2: intensa fermentação;
  • Fase 3: estabilidade;
  • Fase 4: abertura de silo, exposição ao oxigênio e de fornecimento aos animais. 
https://www.lgseeds.pt/media/apt-foto-2-1.png

A fase 1 (aeróbica) é logo no momento do corte, onde ocorre a separação desse material para a produção da silagem. Por isso, esse material ainda possui oxigênio na composição. Quando ele é armazenado, começa a acontecer o processo de esgotamento do oxigênio (anaerobiose). Isso promove o desenvolvimento de bactérias necessárias (as bactérias lácteas) para o processo.

Podemos dizer que, além de secar esse conteúdo, o objetivo é reduzir o pH para a boa conservação do material. Essa redução acontece após poucos dias de armazenamento.

Logo depois da fase 2, onde ocorre uma fermentação de forma bastante intensa, chegamos na fase 3, onde esse processo começa a perder intensidade, até ser estabilizado. Mas um ponto muito importante é que, mesmo após longos períodos, a fermentação não acaba. O que acontece é a diminuição do processo, ou lentidão, que se estende até o dia da alimentação.

Desse modo, esta fermentação constante resulta em diversos produtos finais, que podem ser mais pronunciados durante tempos prolongados de armazenamento, ocasionando diferenças no valor nutricional da silagem. 

Como isso afeta a produtividade na fazenda?

A principal vantagem está na melhora da absorção do amido. Isso acontece por causa da quebra das prolaminas, que são as proteínas formadoras da matriz proteica, no qual envolve o grânulo de amido do cereal. Essa matriz proteica limita a ação das enzimas ao amido, impedindo a degradação. Então, a quebra dessa camada ocorre em sua maioria pela ação das bactérias que estão presentes na silagem, sendo que o maior tempo de armazenamento permite a ação destas bactérias.

Em relação a digestibilidade de amido e o tempo de armazenamento, Ferraretto e Shaver (2016), descrevem que silagem de planta inteira armazenadas por um período de 30 dias se obtém ganhos na digestibilidade do amido em torno de 5% a 10%. Mas, em períodos de até 120 dias pode se obter ganhos de 10% a 15%, enquanto que materiais armazenados por cerca de 1 ano obtém ganhos em torno de 15% até 20% na digestibilidade do amido. Além deste ganho em digestibilidade, Kung Jr et al. (2013) relataram que vacas que receberam silagens armazenadas por períodos mais longos, apresentaram maior produção de leite, em função da maior disponibilidade do amido da silagem. 

Além da digestibilidade do amido, podemos mencionar o aumento da estabilidade aeróbica. A estabilidade aeróbia da silagem é definida como a rapidez com que ocorre decomposição do material ensilado depois da abertura do silo e início do contato com ar (fase 4). Essa melhora na estabilidade da silagem é atribuída a maior produção de ácido acético, motivada pelo aumento do tempo de armazenamento. Isso acontece porque esse ácido é considerado um antifúngico natural.

Mantenha sempre um bom planejamento

Nesse processo, é importante lembrar da redução da proteína bruta. Isso ocorre pela ocorrência de proteólise (degradação da proteína) continuada durante o período de fermentação das silagens. Mesmo em condições de baixo pH (<4,0) algumas enzimas proteolíticas ainda estão ativas, degradando o material, especialmente as prolaminas que revestem os grãos, ocasionando assim, o aumento da proteína solúvel e da amônia (N-NH3). Por isso, o aumento desta fração pode ser usado como um indicador da melhora da digestibilidade do amido dos materiais ensilados. No entanto, o aumento da amônia nas silagens não é desejado, uma vez que indica que ocorreu degradação de proteína do material ensilado. Além disso, atuam como tamponante, aumentando assim o pH da silagem ocasionando a deterioração, ou seja, perdas no valor nutricional da silagem. 

Produzir um bom volumosos é caro, pois necessita de investimento (maquinário, espaço físico, cultivar, material de boa qualidade, otimização nos processos de manejo) que muitas vezes se torna a grande limitação nas propriedades. Mas, como pudemos ver, traz diversos benefícios. Por isso, é sempre importante ter um bom planejamento e as ferramentas corretas em mãos. Para tomarmos decisões sobre isso, precisamos levar em conta diversas informações, e nunca agirmos pelo “achismo”.

Para uma boa produtividade, um bom planejamento

Uma sugestão quando formos ensilar planta de milho ou sorgo em um estágio mais maduro ou com característica de grão vítreo, sugere-se deixar um maior tempo de armazenamento. Assim, os organismos podem tornar o amido do grão mais disponível e digerível.

Então, para otimizar os benefícios que o maior tempo de armazenamento pode proporcionar, torna-se necessário, ajustar a formulação da dieta, conforme o prolongar do tempo de armazenamento, já que a composição das silagens são alteradas. 

Ficou com alguma dúvida? Nos escreva aqui pelo campo de comentários da página, e logo retornaremos para conversarmos mais. 

Quer saber como a Zeit ajudou uma propriedade a aumentar a produtividade em 15% em apenas uma semana? Vem conversar com a gente pelo formulário de contato, e entenda você também como pode alcançar esse resultado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *